Derriçadora


Máquina para derriçar café reduz custos em 10%



A Embrapa Instrumentação, vinculada ao Ministério da Agricultura e do Abastecimento, lançou a colheitadeira portátil, uma máquina que pode colher café, pelo processo de vibração para a derrubada dos frutos, numa velocidade cinco vezes superior à colheita manual e reduzir o custo de produção em pelo menos 10%. O projeto da derriçadora foi desenvolvido em parceria com a Cooxupé – Cooperativa Regional dos Cafeicultores de Guaxupé- a maior cooperativa privada de café do mundo, com mais de seis mil associados, cerca de mil funcionários e abrangência em 56 municípios de Minas Gerais e São Paulo.

Desenvolvida com base na necessidade de viabilizar a cultura cafeeira e manter a competitividade brasileira no mercado, melhorar e otimizar o processo produtivo, a máquina de colher café significa o primeiro passo na modernização da cafeeicultura nas pequenas propriedades. Com o equipamento os produtores poderão obter café de melhor qualidade e consequentemente melhorar os preços. A colheita manual ( arruação, derriça e secagem) representa 60% dos custos da produção.

O equipamento pode ser utilizado em qualquer sistema de lavoura. Outra vantagem é que poderá entrar em locais onde as máquinas convencionais não pode chegar. A colheitadeira automotriz, por exemplo, que já existe há anos no mercado, além do custo alto (R$ 150 mil), tem a operação limitada, justamente, por não se adequar a todas as regiões. A pesquisa recomenda a utilização da derriçadora da Embrapa apenas quando os grãos encontrarem-se em estágio de maturação avançada, com poucos frutos verdes.

A colheita deve ser feita no pano. Pesando sete quilos e com apoio no ombro do operador, por meio de uma correia, a derriçadora que opera com motor de 0,7 HP (gasolina), é dotada de seis varetas plásticas. Cada uma tem 20 centímetros de comprimento e 1,3 de diâmetro e vão operar à base de duas mil oscilações por minuto. As varetas se movimentam paralelamente, aproximando-se e afastando-se continuamente. É possível fazer a derriça em cafeeiros de até quatro metros de altura. Elas derrubam os frutos quando em contato com os ramos dos cafeicultores.

A máquina será de muita importância para a cafeicultura brasileira, que ainda é uma das maiores do mundo . O Brasil é o maior produtor mundial e o segundo maior consumidor de café, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

O país conta com cem mil produtores, sendo que 70% são pequenos e médios; 210 mill propriedades cafeeiras, que geram um milhão de empregos diretos e três milhões de indiretos. Em todo o território brasileiro a área plantada chega a três milhões de hectares, com mais de três bilhões de pés de café, distribuídos em dez estados, com destaque para Paraná, Espírito Santo, São Paulo e Minas Gerais.